30 de janeiro de 2015

The Wolf Among Us

Hoje trago a minha primeira resenha de um jogo. Aviso desde já que não sou grande fã de vídeo games, pois normalmente jogo muito pouco e não consigo me prender a história com tanta facilidade assim.

Mas, como comentei rapidamente em um post no Secret Doramas sobre The Wolf Among Us (clique aqui para lê-lo), que foi um jogo simples, curto e que foi muito instigante, decidi escrever um pouco sobre ele, já que ele me fez jogar por 8 horas direto em apenas um sábado! (Que vergonha de mim...)

ATENÇÃO: SPOILERS DO JOGO! Se pretende jogá-lo, não passe da Ficha Técnica!! Fique por sua conta e risco!!



Ficha Técnica

Título: The Wolf Among Us

Gênero: Investigação / Aventura / Point-and-Click.

Nº de episódios: 5

Episódios lançados entre outubro de 2013 à julho de 2014.

Dublado e legendado em inglês.

Desenvolvido e publicado por: Telltale Games.

Distribuído por: Vertigo e Warner Bros. Interactive Enterteinment.

Dispoínvel para as plataformas: Michrosoft Windows, Xbox 360, Xbox One, PlayStation 3, PlayStation Vita, PlayStation 4, iOS, OS X e Android.

Single player.

Sinopse: Em Fabletown (Cidade das Fábulas), Bigby Wolf (ou Bigby Lobo) é o xerife da cidade, cuidando da paz e serenidade da cidade onde diversos personagens dos contos de fadas convivem. Bigby terá de investigar e solucionar os crimes realizados por um serial killer, que pode ser qualquer um dos "Fables" que moram na cidade.



Minha opinião: Uma das coisas mais interessantes abordadas pelo jogo é o universo diferente. Eu como grande fã de contos de fadas e romântica toda vida, não imaginaria nunca esses personagens vindo para o mundo real, habitando um pequeno bairro nos Estados Unidos e tendo que esconder suas verdadeiras formas para manter a paz e a tranquilidade no local.


E, se o pano de fundo já não fosse interessante, temos como protagonista a personificação do Lobo Mau, que é, pasmem, xerife da cidade! Chega a ser irônico o cara que todos temem ser o mesmo que tem que proteger a população da cidade. E além disso ele é cheio de defeitos e desvios de caráter, fazendo com que suas atitudes e suas escolhas de caminho sejam ainda mais surpreendentes.

Tá a cara do Constantine!

Posso me arriscar a dizer, como total leiga sobre o assunto, que esse jogo é quase como se fosse um filme a ser acompanhado. Ou aqueles livros-jogo, que há muito eu não vejo, mas que funcionavam no estilo:
“Sherlock tinha uma grande dúvida! Qual seria o melhor caminho a seguir?!? Ir atrás do suspeito de chapéu coco (IR PARA A PÁGINA 19) ou da mulher misteriosa (IR PARA A PÁGINA 36)?”
The Wolf Among Us tem uma história fechada, não é mundo aberto, mas você pode escolher qual a resposta que Bigby Wolf dará para cada um dos personagens com quem está conversando, e, dependendo da sua resposta, pode ser que o decorrer da história mude.


E para completar uma história que já tinha como cenário todos os personagens cativantes que conhecemos quando criança (porém, claramente mais calejados e com personalidades muito mais marcantes do que tínhamos sido apresentados nos contos de fadas), temos o plot de um assassino em série. Personagens morrendo sem ninguém saber o motivo e uma conspiração onde todos os conhecidos de Bigby podem ser suspeitos aos assassinatos das vitimas.

Espelho, espelho meu, quem pode ser mais mortal do que eu?

O gráfico do jogo é extremamente agradável, lembrando um pouco o traço dos quadrinhos. A trilha sonora e o traço do jogo, além das cores escuras dos locais que Bigby visita nos remetem à um clima noir, estranhamente acolhedor, que ajuda e muito na imersão do jogador na situação.


E para dar maior emoção, dependendo da linha de respostas e ações que você decide que o Bigby realize, você pode criar um personagem do mau ou do bem, sendo tendencioso para a justiça ou para a vingança.


Os pontos negativos do jogo, em um primeiro momento são:

  • A rapidez com a qual você tem que clicar em uma resposta disponível para as primeiras perguntas do jogo, onde nos primeiros diálogos mal dá tempo de ler todas as opções para saber qual foi a melhor resposta.

Foi mal, Caçador! Eu realmente pensei que "Glass Him"
 era encher o seu copo, não quebrá-lo na sua cabeça!

  • Nos capítulos 4 e 5 houveram alguns momentos em que o jogo bugou, desaparecendo as opções de resposta disponíveis e me obrigando a reiniciar o jogo para que o bug desaparecesse.

  • O final do jogo, que dá margem a diferentes interpretações e para mim foi um pouco difícil de decifrar. Mas ao mesmo tempo foi interessante, pois o final foi objeto de discussão entre amigos meus que jogaram o jogo. =)


  • Ter somente 5 capítulos, o que impediu de, talvez, desenvolver melhor alguns aspectos da história do jogo, além de que seria muito divertido ter um tempo maior de aventuras e mistério com Bigby Wolf.



Assim, termino essa resenha recomendando fortemente que todos joguem esse jogo, que é rápido e que deixa uma sensação de quero mais. Espero que seja criada uma continuação para a história, assim como foi feito com The Walking Dead laçado pela Telltale Games.


Até mais!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente sua opinião, crítica, sugestão ou whatever!
Nós do Peixe com Sales agradecemos!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...