27 de setembro de 2015

Perdido em Marte (o Livro)

Olá terráqueos e outros seres de fora que tem acesso a nossa rede. Vou dar a minha opinião sobre a história escrita por Andy Weir: Perdido em Marte, publicado aqui no Brasil pela editora Arqueiro.


Como sempre, gostaria de lembrar a vós de que não sou nenhum crítico literário, nem de cinema, nem de coisa alguma, e que meu objetivo é mostrar uma obra literária nova e dar minhas impressões sobre a mesma para que você decida se vai adquiri-la (ou vai esperar sair o filme) ou não.



Este livro é uma obra fictícia porém muito fundamentada na realidade na maioria de seus conceitos. O protagonista é o astronauta Mark Watney, cuja equipe o viu "morrer" e devido a um grave acidente em solo marciano causado por uma tempestade fora do comum. Durante a dita tempestade, o veículo de ascensão do solo começou a tombar, o que resultaria na impossibilidade de todos ali em voltar para casa. Então numa cena inicial aterrorizante em que uma equipe de astronautas lutam por suas próprias vidas e pelas vidas de seus companheiros o corpo de Mark Watney é deixado para trás morto... só que não. 

Após a tempestade nosso astronauta abandonado, consegue contornar a situação com ajuda do equipamento da NASA (Administração Nacional da Aeronáutica e Espaço - Estados Unidos) e de seus conhecimentos. Aliás, contornar problemas, se adaptar e sobreviver são coisas que esse herói fará muitas vezes durante todo o livro.

Imagem de Marte do telescópio Hubble.
Especulações dizem que a cor vermelha deriva da magnetita oxidada.
É um planeta "enferrujado"
Com muitos cálculos matemáticos, Mark Watney, engenheiro mecânico e botânico (só na ficção mesmo) utiliza todo seu conhecimento para tentar sobreviver o máximo de dias possíveis ou Sois (dias de marte) e para tentar se comunicar de alguma forma com a Terra. E com todos esses conhecimentos nosso herói se torna:

Mark Watney é o novo McGyver.
(se você entendeu essa referência é porquê é muito velho)

É muito interessante a maneira com a qual o astronauta vence os problemas, faz testes e experimentos finamente calculados, mas acima de tudo ele não perde a humanidade. Ele fica conversando consigo mesmo e conjecturando sobre como seu time de baseball favorito está no campeonato, qual série de TV ele vai assistir e qual a melhor ração espacial para cada momento e etc. O autor consegue explicar muita baboseira de segurança e protocolos espaciais sem ser nem um pouco chato! O leitor consegue absorver aos poucos as informações passadas sem se perder muito.

Outro núcleos que o livro mostra são a equipe da missão do Watney, intitulada Ares 3(a missão e não a equipe), numa briga psicológica para enfrentar a perda de um companheiro e a volta pra casa de muuuitos meses; e os funcionários da agência aeroespacial americana na administração da crise que se instaura com o ocorrido.  

Marte/Ares o deus da guerra (imagem aleatória :) )
Perdido em Marte ou "The Martian" é uma obra detalhada, porém leve e bem humorada sobre a superação de um "náufrago" espacial com habilidades incríveis para sobreviver.
Recomendo a todos que leiam o livro, pois não sei se a versão para o cinema, que estréia no início de outubro de 2015, conseguirá passar a mesma genialidade do astronauta ou de sua equipe na resolução dos problemas. Entretanto a direção do filme é de Ridley Scott e temos alguns atores bons, então minhas expectativas estão boas no geral.

Se for viajar pelo espaço não esqueça sua toalha e uma fita adesiva bem resistente.
Até mais. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente sua opinião, crítica, sugestão ou whatever!
Nós do Peixe com Sales agradecemos!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...