23 de março de 2016

Entrevista com Jon Bernthal, o mais novo Justiceiro e o último de que vamos precisar.

Fala, galera

Pegando carona no HypeTrain da segunda temporada de Daredevil da Netflix, o PeixeComSales vai lançar uma seleção de artigos sobre essa obra-prima da nova programação da TV.  Vamos começar agora com um mergulho na mente de Jon Bernthal aka. O Novo Justiceiro.



Jonny B. é nascido e criado em Washington D.C. e estudou na Moscow Art Theatre School na Rússia. Em Moscou, também foi um jogador de beisebol profissional na Federação Européia de Beisebol Profissional. Enquanto estudava em Moscou, foi descoberto pelo diretor do instituto de treino teatral avançado da Universidade de Harvard e convidado a obter um diploma pelo instituto. Graduando-se em 2002, ele participou de mais de 30 peças teatrais regionais e off-Broadway;

Em março de 2010, Bernthal ganhou o papel de Shane Walsh numa seriezinha aí chamada “The Walking Dead”. Não tenho certeza quanto à seguinte afirmação mas digo mesmo assim, o personagem Shane Walsh, nos quadrinhos TWD, morre num dos primeiros arcos da história, diferentemente do personagem na série que sobreviveu durante 2 temporadas. Isso talvez tenha sido um ato isolado dos próprios roteiristas, ou Jon e seu carisma tiveram alguma coisa a ver também... Quem pode dizer.

Enfim, junho de 2015 veio e com ele o anúncio de que Jon Bernthal iria interpretar o personagem Frank Castle. Com uma carreira bem assentada em Hollywood e um currículo recheado de interpretações de alta intensidade e violência, ele foi uma escolha acertada para o papel. Mas nunca passaria pela mente do público que seria tão acertada.

Questionado numa entrevista pela “MovieFone”, Jonny B. respondeu sobre a influência da audiência sobre o seu papel:

“É de suma importância para mim. O público de HQs é um grupo de pessoas com quem eu estou familiarizado. Eles são incrivelmente apaixonados, incrivelmente inteligentes e podem ser incrivelmente leais. Eu acho que quando você lê um HQ, você é forçado a influir muito da sua própria imaginação enquanto lê. Acho que o que acontece, o resultado disso é que as pessoas tem um verdadeiro senso de possessão do personagem. Então, eu entendo o quão importante é esse personagem pra todas essas pessoas.

Em outro nível, o fato de esse personagem ressonar tanto com as forças da lei e a comunidade militar, isso significa muito pra mim. Existem caras que foram pra batalha em nome desse país (EUA) com a logo do Justiceiro nos seus uniformes, seus equipamentos. Houveram pessoas que morreram por esse país com essa logo no seu equipamento. Isso significa tudo pra mim.”

Tendo a primeira temporada determinado um nível para a série, Jon comenta sobre a cobrança que sofreu durante as gravações:

“Você assistiu (a 1ª temporada). Eles estão fazendo coreografias de luta com qualidade de filme em um cronograma de TV. Isso é um trabalho incrivelmente árduo. As lutas são intrincadas, as lutas são intensas e estamos sempre correndo contra o relógio. Fisicamente, cada episódio foi difícil da sua própria maneira.”


Agora, sem sombra de dúvida o personagem Frank Castle é uma figura icônica no mundo dos quadrinhos e grande parte dessa idolatria vem da complexidade emocional e psicológica que envolve os seus atos. Tendo por base os últimos trabalhos com o personagem, vê-se que não é uma tarefa fácil trazer a vida o que realmente faz o Justiceiro ser o Justiceiro. Sobre isso, Jon diz:

“Eu acho que esse personagem requere um mergulho em um lugar muito, muito profundo e muito, muito escuro e requere viver nesse lugar, coisa que eu fiz por um bom tempo. Eu já disse isso antes, mas não teria tido jeito de eu acertar esse papel ou tentar se eu não fosse um marido e pai. Até você saber o que é amar algo mais que a si mesmo, você não conseguiria entender ou começar a entender como seria ter esse amor tirado de você, perder essas pessoas que valem mais para você do que você mesmo.”

Alguns boatos começaram a surgir com relação a viagem de Bernthal a esse lugar “profundo e escuro” onde fica Frank Castle. Assim que ele conseguiu o papel, é dito que Jon fazia caminhadas por Nova Iorque com um mochila pesada nas costas pra entrar no estado mental do personagem.

“Isso é coisa esquisita de ator, cara. Eu não tenho uma boa razão pra fazer o que eu faço. É tipo, como você passa as suas noites, sabe? No começo, quando eu estava tentando encontrar esse personagem, eu pensei que encher a minha mochila com peso e só andar pelo Brooklyn e Manhattan ia ser uma coisa legal. Só pra brincar com o personagem na sua cabeça.

É meio que um método bobo de se falar, levar o personagem pra jantar, jantar como o personagem e passar uma noite inteira como o personagem, indo em lugares diferentes. Eu não acho que isso é o tipo de coisa que você consegue fazer indo em bares e bons restaurantes e aí depois entrar no set e entrar na escuridão.”


Uma das questões de maior destaque na primeira temporada de Demolidor foram as grandiosas coreografias de luta. O nível continua alto nessa segunda temporada e Jonny B. comenta um pouco mais nesse quesito.

“Eu sou uma vadia-de-ensaios, cara! Eu só gosto muito, muito de ensaiar e entender as coisas, principalmente com lutas. Eu realmente olho pra forma como um homem luta. É tão revelador quanto ao personagem. É muito importante para a interpretação do personagem que você veja como ele luta, como ele reage numa luta, como ele reage a dor, como ele reage quando os lados estão desiguais.


Eu acho que não há mentiras numa luta. Ela revela tudo sobre um homem, e eu sei disso da minha própria experiência no boxe. Pra mim, eu acho que melhorei muito em confiar no processo com Eric Linden, meu inacreditavelmente talentoso dublê de ação, e nós descobrimos como fazer as lutas. Uma luta com qualidade de filme, uma luta absurdamente ambiciosa em nível de cinema, e ainda gravá-la em uma noite, isso ensinou a dizer ‘Ok, isso é o que o Eric faz melhor, isso é o que o Jon faz melhor. Assim nós trabalhamos todos juntos’.”

Para comprovar as palavras de Jon Bernthal assista à nova temporada de Demolidor, já no catalógo da Netflix, todos os episódios... TODOS. OS. ESPISÓDIOS. (Netflix, você é uma benção nesse mundo de injustiças....). Fiquem ligados para os próximos artigos!

Fonte: MovieFone

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Comente sua opinião, crítica, sugestão ou whatever!
Nós do Peixe com Sales agradecemos!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...